Hospital INC - Instituto de Neurologia de Curitiba

Neurologista alerta sobre pacientes que não devem se vacinar contra o Sarampo

Na última segunda-feira, dia 6 de agosto, começou a vacinação contra sarampo e poliomielite, com campanha em todo o Brasil. Crianças de 1 até 5 anos podem ser vacinadas, mesmo se já tomaram a vacina anteriormente.

Segundo a neurologista do Hospital INC, Maria Tereza de Moraes Souza Nascimento, temos em nosso calendário habitual, diversas vacinas produzidas a partir de vírus vivos/atenuados, como por exemplo a vacina da Febre Amarela e do Sarampo. “Tais vacinas, para serem efetivas, requerem que a resposta imune do indivíduo que a recebe esteja intacta, pois, combatendo aqueles vírus enfraquecidos presentes nas vacinas, produza defesas suficientes para combater a infecção real, se houver”, explica.

“Infelizmente, os pacientes imunossuprimidos (isto é: os pacientes em uso de medicação que afete a imunidade) não devem receber este tipo de imunização”, explica a neurologista, lembrando que segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (Center of disease control and prevention), em alguns casos o paciente não deve realizar a vacinação contra o sarampo. São eles:

- Pacientes com alergias graves e potencialmente fatais. Uma pessoa que já teve uma reação alérgica com risco de vida após uma dose da vacina, ou que tenha uma alergia grave a qualquer parte desta vacina, pode ser aconselhada a não ser vacinada.

- Está grávida ou pensa que pode estar grávida. As mulheres grávidas devem esperar para receber a vacina do sarampo até que elas não estejam mais grávidas. As mulheres devem evitar engravidar durante pelo menos 1 mês após a vacinação com a vacina tríplice viral.

- Tem um sistema imunológico enfraquecido devido a doenças (como câncer ou HIV / AIDS) ou tratamentos médicos (como radiação, imunoterapia, corticoide em altas doses  ou quimioterapia).

- Tem um pai, irmão ou irmã com histórico de problemas no sistema imunológico.

- Já teve uma condição que os faz contundir ou sangrar facilmente (transtornos se coagulação do sangue)

- Recentemente teve uma transfusão de sangue ou recebeu outros produtos sanguíneos. Você pode ser aconselhado a adiar a vacinação do Sarampo por 3 meses ou mais.

- Tem tuberculose.

- Recebeu outras vacinas nas últimas 4 semanas. Vacinas vivas dadas muito próximas podem não funcionar tão bem.

Segundo a médica, pessoas que estão moderadamente ou gravemente doentes provavelmente devem esperar para receber a vacina. “O ideal é procurar um médico, que analise o estado de saúde e os componentes da vacina, e instrua se a pessoa deve ou não receber a imunização”, completa.