Hospital INC - Instituto de Neurologia de Curitiba

Diagnóstico rápido em doenças cardiovasculares é fundamental para evitar complicações da doença

 

Cerca de 17,5 milhões de pessoas morrem vítimas de doenças cardiovasculares a cada ano

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em todo o mundo, cerca de 17,5 milhões de pessoas morrem vítimas de doenças cardiovasculares a cada ano. No Brasil, a média anual chega a 350 mil, o que corresponde a uma morte a cada 40 segundos. As doenças cardiovasculares são responsáveis por três vezes mais mortes do que as doenças respiratórias. Nos últimos 10 anos, o infarto do miocárdio foi responsável por 9% dos óbitos no país.


Segundo o médico cardiologista o Hospital INC, Rafael Luís Marchetti, o principal sintoma do infarto é a dor torácica, ou dor no peito, porém muitas vezes o infarto do coração se manifesta com outros sintomas, como falta de ar, sensação de peso no peito, aperto no pescoço e dor epigástrica (dor na “boca do estômago”).“Sintomas como náuseas e vômitos podem acompanhar a manifestação inicial do infarto, sendo que a dor que corre para os ombros e braços, principalmente o esquerdo, também pode estar presente”, explica.

A maioria das mortes por Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) ocorre nas primeiras horas de manifestação da doença, sendo 40% a 65% na primeira hora e, aproximadamente, 80% nas primeiras 24 horas. “É de fundamental importância que o diagnóstico do infarto do miocárdio seja feito o mais rápido possível, para iniciar o tratamento adequado e diminuir a chance de complicações da doença, tanto imediatas como futuras”, sinaliza, lembrando que a síndrome coronariana aguda, ou seja, o infarto agudo do miocárdico e angina instável, representa quase 1/5 das causas de dor torácica nas salas de emergência. “A abordagem inicial desses pacientes é sempre feita para confirmar ou afastar um diagnóstico de doença cardíaca, por isso é imprescindível que seja realizada por um cardiologista”, afirma.

No serviço de emergência cardiológica e na Unidade Cardiológica Intensiva (UCC) do Hospital INC, é seguido o protocolo institucional para o diagnóstico e tratamento da dor torácica, baseado em diretrizes nacionais e internacionais, sempre que há suspeita de doenças cardiovasculares. “Qualquer sintoma que não desapareça por mais de 10 minutos deve ser investigado, em um pronto atendimento que ofereça assistência cardiológica”, aconselha Marchetti.