Hospital INC - Instituto de Neurologia de Curitiba

Memória de ferro: como a família pode estimular o cérebro dos avós


Nossa neurologista Kristel Back Merida fala para a Gazeta do Povo sobre alimentos que ajudam a retardar o envelhecimento do cérebro.

Jogos de tabuleiro, exercícios físicos e mudanças no cardápio são algumas maneiras de frear o desgaste cognitivo.
Esquecer onde as chaves foram colocadas, ter dificuldade para aprender atividades simples do dia a dia e sentir aquela sensação de estar com a palavra “na ponta da língua”, sem conseguir lembrar dela, são situações que podem se tornar frequentes com o passar dos anos. Isso ocorre devido ao envelhecimento cognitivo, que afeta a memória e deixa o idoso confuso. No entanto, é possível evitar o desgaste do
cérebro com algumas atividades em família, exercícios físicos e cuidado na alimentação.

Blanca Álvarez Crespo, neuropsicóloga clínica, contou ao Hacer Familia, que os jogos de tabuleiro e de cartas são excelentes para prevenir o esquecimento porque treinam as funções cognitivas e mantém a memória ativa. Além disso, o preenchimento de palavras cruzadas, Sudoku e de exercícios online também oferece esse estímulo e ainda distrai os pacientes.

Já nos momentos em que a família não está reunida para se divertir com jogos de dominó, canastra ou similares, é importante incentivar o idoso a desenvolver hobbies como desenho, pintura e a participação em atividades culturais. Entre as opções que os filhos e netos podem sugerir estão visitas a museus, reuniões sociais e até idas ao cinema ou teatro. O ideal é sempre evitar o isolamento.

Praticar atividades físicas regulares — como caminhada, pilates, dança ou natação — e manter uma alimentação equilibrada também garantem disposição e evitam doenças que afetam o cérebro. Por isso, é importante que a família acompanhe os avós nos exercícios e esteja de olho no cardápio diários deles para estimular o consumo de alimentos que combatem radicais livres e previnem as falhas cognitivas.

De acordo com a neurologista Kristel Back Merida, do Instituto de Neurologia de Curitiba, entre os alimentos que neutralizam o processo oxidativo e retardam o envelhecimento do cérebro estão oleaginosas como castanhas, nozes e amendoim, e também verduras e folhas verdes ricas em vitamina E. Algumas das melhores fontes dessa vitamina são brócolis, couve, agrião, espinafre e semente de girassol.

Além de cuidar da dieta do idoso, incentivá-lo a praticar exercícios e preparar atividades em família que estimulem o cérebro, é importante realizar exames de sangue anualmente para medir os níveis de colesterol, triglicerídeos, glicose e diabetes dos avós. Isso evitará o desenvolvimento de doenças como hipertensão, diabetes, colesterol alto, sedentarismo e obesidade, que apresentam riscos à saúde cerebral.

Atenção!
Vale ressaltar que esquecimentos são comuns para qualquer pessoa e só devem ser motivo de alerta quando se tornarem muito frequentes ou ocorrerem em situações extremas como não lembrar da casa onde mora, se perder em uma rota habitual ou esquecer o nome de pessoas muito próximas, como membros da família.


Fonte: Gazeta do Povo, 02/07/2019